da cultura do preço para a cultura do apreço

Economia solidária e justiça social

Propomos uma mudança de paradigmas, para sairmos da cultura do preço e passarmos para a cultura do apreço. Ao aderir à CSA MINAS você terá a oportunidade de conhecer e de estabelecer uma relação de apreço, confiança e parceria com quem produz o alimento que você consome. Deixará de ser um simples consumidor, para tornar-se um coagricultor (coprodutor), ou seja, um parceiro dos agricultores.

 

Portanto, esperamos que você desempenhe o papel de cidadão consciente da sua responsabilidade socioambiental e que valorize o trabalho dos agricultores, que é tão importante quanto o do médico: ao fornecerem alimentos saudáveis, livres de agrotóxicos, eles estão evitando que você fique doente.

Muitos dos conceitos trazidos por Rudolf Steiner, filósofo austríaco que criou a Antroposofia e a Agricultura Biodinâmica, estão sendo materializados pelas CSAs, a começar pela neutralização da terra como capital, com seu uso social para a a produção de alimentos saudáveis. Acreditamos que apoiar o desenvolvimento da causa social agrícola é o único caminho para alcançar o verdadeiro sentido de economia solidária e justiça social, com o fim de toda e qualquer crise econômica.

 

CSA não é comércio, nem serviço, nem grupo de consumo, nem negócio de impacto social, nem assistencialismo. CSA é uma "Escultura Social", uma "Oficina para o Futuro", um caminho de desenvolvimento para o ser humano.

*Texto de Carlos Lira/CSA Demétria, adaptado por Julio Bernardes/CSA Minas.